• 01MAR

    Falta de sono causa fome e preferência por comida pouco saudável

    A falta de sono aumenta os níveis no sangue de um sinal químico que aumenta a vontade de comer, principalmente aperitivos doces ou salgados gordurosos, de acordo com um estudo publicado nesta segunda-feira pela revista "Sleep".

    O trabalho, que se baseia na relação entre dormir pouco e o aumento de peso, foi realizado entre 14 voluntários jovens e saudáveis, que privados de sono não puderam resistir a biscoitos, balas e batatas fritas, comidas que os cientistas classificam como aperitivos altamente "gratificantes".

    Os jovens caíram na tentação desse tipo de aperitivos apesar de duas horas antes terem ingerido uma comida que cobria 90% de suas necessidades calóricas diárias.

    O estudo afirma que os efeitos da falta de sono no apetite eram mais poderosos no fim da tarde e no início da noite, momentos nos quais "beliscar" foi vinculado ao aumento de peso.

    "Descobrimos que a falta de sono estimula um sinal que pode aumentar o aspecto hedonista da ingestão de alimento, o prazer e a satisfação através da comida", afirmou Erin Hanlon, endocrinologista da Universidade de Chicago e uma das autoras do estudo.

    A falta de sono, segundo a pesquisadora, "parece aumentar" o sistema endocanabinoide do cérebro - o mesmo afetado pelo ingrediente ativo da maconha - para aumentar o desejo de consumir alimento.

    Quando os voluntários eram privados de sono, os níveis de endocabinoides aumentou ao longo da noite. Durante esse período, os jovens disseram ter mais fome e um desejo maior de comer. Ao terem acesso a pequenos aperitivos, comeram o dobro e com mais gordura do que quando puderam dormir durante oito horas.

    O aumento dos níveis de endocanabinoides circulantes "pode ser o mecanismo pelo qual a restrição recorrente de sono acaba em uma ingestão excessiva de alimento, especialmente em forma de aperitivos, apesar de o aumento na necessidade de energia ser mínimo".

    Os especialistas consideram, segundo um estudo, que cada hora extra acordado representa o uso de 17 calorias extra, lembrou Hanlon na nota. Sendo assim, a cada quatro horas de sono perdido fariam falta 70 calorias. No entanto, os voluntários chegaram a consumir até 300 calorias extras, "o que pode causar um aumento significativo de peso".

    Fonte: Terra.com.br



Categorias